Para auxílio na escolha de um freio deve-se primeiro atentar-se a esta breve explanação sobre os conceitos de aplicação e operação dos sistemas de frenagem existentes, os quais abaixo explicitamos:

Características de Aplicação

– Freios Estáticos de Segurança ou estacionamentos
Destinado a operações onde busca-se o estacionamento ou garantia de parada de máquina e equipamento em posição inalterada. Na maioria das aplicações estáticas deve-se calcular o torque e acrescentar um fator de segurança, normalmente entre 1,5 a 2,0 para compensar a possibilidade de interferência de aspectos externos tais como: contaminação da superfície de frenagem e perdas das condições de atrito das pastilhas, além de prover uma margem de segurança da frenagem.

– Freios Dinâmicos (Serviço e Emergência)
Nestas aplicações o freio tem que parar todos os componentes móveis da máquina ou equipamento, portanto, deve ser dimensionado para suprir as exigências das frenagens estática e dinâmica. Os cálculos devem garantir: um fator de segurança entre 2,0 e 2,5 sobre o torque nominal do motor, condições mínimas de temperatura de operação e capacidade de dissipação térmica, para que as características ideais de atrito entre as pastilhas e superfície  de frenagem sejam sempre mantidas.

– Freios de Tensionamento
Estas aplicações exigem que os freios forneçam torque contínuo para tensionar o material que passa pelas máquinas e como conseqüência alta capacidade de
dissipação térmica, exemplo: enroladeiras, desenroladeiras e rebobinadeiras.  Na maioria dos casos operam com controle proporcional da força de atuação dos freios, devendo ser dimensionados tendo em vista considerações especiais (críticas) de operação, para garantir uma longa vida útil de seus componentes. Os cálculos sempre devem levar em conta a inércia total do sistema e a velocidade máxima de operação das máquinas, acrescidos de um fator de serviço a ser definido conforme a aplicação.

Características de Operação

Com base nas condições de aplicação deve-se verificar a condição de operação do sistema de frenagem, ou seja precisamos definir se aplicação exige a utilização de um sistema de frenagem Normalmente Aberto ou Normalmente Fechado.

Sendo freios Normalmente Abertos caracterizados pela necessidade de aplicação de energia mecânica, hidráulica ou pneumática para prover o fechamento do freio, ao passo que freios Normalmente Fechados exigem a aplicação de energia para abertura do freio, permanecendo em estado fechado (Freiado) até que uma contrária seja imposta ao sistema de freio escolhido.

Deve-se ressaltar que a escolha da característica de operação é intimamente ligada as necessidades da aplicação, sendo consideradas as condições de dinâmica da operação, velocidade de resposta e principalmente segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu